De olho no futuro, a AESabesp cria Coordenadoria de Inovação

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

O setor de saneamento ganha o interesse dos jovens profissionais, pela apresentação de alternativas que beneficiam a qualidade de vida da sociedade, especialmente as que contam com os recursos das tecnologias de ponta.

De olho nesse universo, a Gestão 2019-2021 apresenta a sua nova coordenadoria de Inovação, que apoiará as startups, liderada também por um jovem e promissor profissional, o eng. Luis Felipe Macruz, que nos concedeu esta interessante entrevista:

1 – Gostaríamos de mostrar um pouco do seu perfil. Qual é a sua formação acadêmica? Como foi sua trajetória até a sua atual função na Sabesp? Quando tornou-se associado da AESabesp?
L.F.Macruz: Tenho 29 anos, trabalho na Sabesp desde 2012 (novinho de empresa como dizem por aqui…rs…). Eu sou graduado em engenharia de produção pela Universidade Mackenzie, tenho MBA em Gestão de Negócio pela FGV.
Trabalhei na área de engenharia de adução na Unidade de Produção de Água da Metropolitana (MA) até 2018, quando fui convidado para o cargo de gestor da área de Planejamento, Controladoria e Qualidade da superintendência e estou nessa área até o momento.
Logo no início dos meus trabalho na engenharia da adução, minha  gerente – atual presidente da Associação, eng. Viviana Borges – me convidou para ser associado da AESabesp.

2 – Qual foi o objetivo da AESabesp com a criação da coordenadoria de Inovação?
L.F. Macruz: Apoiar e financiar startups com foco no saneamento, com objetivo de estimular o desenvolvimento de inovações no setor, tornando a AESabesp  referência nesse tipo de atividade.

3 – Como será a demanda desta coordenadoria?

L.F. Macruz: A coordenadoria tem como principal atividade a elaboração de um processo estruturado de seleção e financiamento e apoio a startups.

4- Quais são as expectativas, em relação a essa atuação,  para 2019?
L.F. Macruz: Ter o processo de financiamento elaborado, baseado nas melhores práticas do mercado mundial de venture capital (*) e realizar os primeiros aportes de capital em 2019.

5 – O senhor tem algum planejamento específico para a condução desta coordenadoria?
L.F. Macruz: Sim,  esta ação está nos objetivos estratégicos da AESabesp que foi fruto do planejamento estratégico da atual gestão, realizado no último mês com a participação de diversos associados.
Na ocasião montamos uma equipe de peso para apoiar essa iniciativa. Os membros iniciais do time são: Reynaldo Young Ribeiro e Richard Welsch, juntos elaboramos um cronograma dos planos de ações, entregas e indicadores para este ano de 2019.

6 – Como o senhor avalia a evolução deste segmento de Inovação dentro do setor de saneamento?
O setor de saneamento está em constante evolução como podemos observar pelo número de trabalhos e novas tecnologias apresentadas na Fenasan, Encontro Técnico, outras feiras e congressos que ocorrer em todos os anos. Acredito que a busca por novas soluções está no DNA das pessoas que trabalham na Sabesp e em outras empresas do setor, pois o nosso desafio de universalizar o saneamento no Brasil é imenso e precisamos cada vez mais de soluções inéditas e criativas.  Dessa forma apoiar startups é essencial para estimular ainda mais o processo de inovação no setor.

(*) venture capital é a modalidade alternativa de investimentos criada para apoiar pequenos negócios inovadores, comumente conhecidos como startups. Dessa forma, o venture capital é feito por meio da compra de uma participação societária, com o objetivo de obter valorizações posteriores em sua cota no momento da saída das operações da empresa.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.