AESabesp presente na mobilização nacional contra a MP 868

Grande mobilização reforça críticas às mudanças no setor de saneamento com a MP 868

AESabesp reforça posicionamento contra as alterações que vão piorar a situação dos serviços no Brasil

A AESabesp (Associação dos Engenheiros da Sabesp) e diversas entidades do setor de saneamento promoveram um ato histórico na última segunda-feira, 13 de maio, contra as mudanças que colocam em risco os brasileiros. O Dia Nacional contra a MP do Saneamento teve a presença de quase 1.000 pessoas em São Paulo e protestos espalhados por todas as demais regiões do país.

A medida provisória 868 está em discussão no Congresso e prevê uma série de mudanças nas regras do saneamento nacional. A proposta pode levar ao aumento da tarifa e a novos impostos para cobrir os custos em mais de 5.000 cidades brasileiras. Outro risco é de impedir a despoluição de rios e praias ao mudar a distribuição dos recursos entre os municípios (subsídio cruzado). A MP também ameaça a autonomia dos municípios.

No ato realizado em São Paulo, no Club Homs (avenida Paulista), a presidente da AESabesp, Viviana Borges, ressaltou os riscos que a medida provisória traz para o Brasil e reforçou a importância de todos falarem com os deputados e senadores de seu Estado para esclarecer a situação e orientar o voto deles. A medida já teve o parecer do relator Tasso Jereissati aprovado por 15 votos a 10 e agora precisa ser votado por todos os deputados e todos os senadores até 3 de junho ou perde a validade. Há pressão para que ela seja aprovada ainda em maio do jeito que está.

Viviana explicou durante o ato que a Sabesp é um modelo de eficiência que gera resultados e investe 75% do lucro nos municípios deficitários e levou a informação de que diversas entidades e companhias estaduais do país estavam usando preto em manifestação contra a MP 868.

A AESabesp vem trabalhando intensamente no convencimento de diferentes representantes da sociedade e as ações de comunicação da associação podem ser conferidas no site da AESabesp.

Entre as ações estão o envio de cartas aos prefeitos do Estado de São Paulo e do Paraná detalhando os riscos que a MP traz. Foram também encaminhadas mensagens aos deputados federais e aos senadores de todo o país. Os líderes dos partidos e os membros da comissão que avaliou a medida provisória receberam textos detalhados com o posicionamento da AESabesp e alertas sobre os perigos da proposta.

Também participaram do evento os diretores Olavo Sachs (Cultural), Luciomar Werneck (Técnico) e Agostinho Geraldes (Comunicação e Marketing), além de conselheiros e vários associados.

O Dia Nacional contra a MP do Saneamento teve atos também em Estados como Acre, Bahia, Ceará, Pará, Paraná, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Sergipe. A mobilização teve participação de entidades como Abes (Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental), Aesbe (Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento), FNU (Federação Nacional dos Urbanitários), FNSA (Frente Nacional pelo Saneamento Ambiental), APU (Associação dos Profissionais Universitários da Sabesp), Sintaema (Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente do Estado de São Paulo) e Sintius (Sindicato dos Urbanitários), pela Baixada Santista.